Unidades Operacionais - Estrutura

 O CP é o escalão intermediário de comando responsável pela coordenação das atividades operacionais  em  determinada  região, abrangendo BPM, CIPM e atividades de policiamento especializado. O CP constitui-se de um Comandante, um Subcomandante; um Estado Maior, e um Pelotão de Comando e Serviços - PCS. No Tocantins a função é distribuída entre o CPC – Comando do Policiamento da Capital , o CPI – Comando do Policiamento do Interior e CPE – Comando de Policiamento Especializado.

 O CPC – Comando de Policiamento da Capital é o órgão de execução que coordena as ações operacionais da Polícia Militar desenvolvidas na Capital e em municípios vizinhos, através das seguintes unidades: 1º BPM e 6º BPM (Palmas); 5º BPM (Porto Nacional); 8º BPM (Paraíso) e 6ª CIPM (Miracema). 

 O CPI – Comando de Policiamento do Interior agrega as unidades localizadas nas demais cidades do interior do Estado, que sediam Batalhões e Companhias independentes, como Araguaína (2º BPM); Pedro Afonso (3º BPM); Gurupi (4º BPM); Guaraí (7º BPM); Araguatins (9º BPM) Arraias (1ª CIPM); Dianópolis (2ª CIPM); Colinas do Tocantins (3ª CIPM); Lagoa da Confusão (4ª CIPM) e Tocantinópolis (5ª CIPM)

O CPE – Comando de Policiamento Especializado  é destinado ao policiamento de choque e patrulhamento de alto risco, sendo composto pelo  BPCHOQUE que abrange o policiamento tático das equipes de policiais militares do GIRO, ROTAM e GOC. Com a reorganização da estrutura operacional militar feita por meio do Decreto nº 5.494, de 25 de agosto de 2016, conta ainda com a CIOE que  é composta pelos pelotões de Comando de Operações Especiais – COE; Grupo de Gerenciamento de Crises, Esquadrão Antibombas e Atiradores de Precisão.  

GIRO: O Grupo de Intervenção Rápida Ostensiva, GIRO, atua em ocorrências que envolvam infratores que utilizam motocicletas.  A principal característica do GIRO é a facilidade de deslocamento pelo trânsito dos centros urbanos, de forma rápida e com grande mobilidade em terrenos de difícil acesso, com a preocupação de prevenir e combater os crimes cometidos por motociclistas e garantir a segurança dos policiais integrantes do GIRO.

GOC: O Grupo de Operações com Cães, GOC, tem como missão o emprego do cão policial em atividades de Segurança Pública quer ser de caráter preventivo ou repreensivo, apoiando todas as unidades da Polícia Militar em suas diversas missões, sejam elas em policiamento ostensivo a pé, motorizado, em embarcações ou aeronaves, onde se torne necessário a aplicação da especialidade do policiamento cinotécnico com suas peculiaridades tanto técnicas quanto táticas.

ROTAM: Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas, ROTAM, é um grupo integrado de policiais militares que fazem patrulhamento tático e abordagens com viaturas, na zona urbana, em apoio às viaturas de áreas no atendimento a ocorrências. Dentre as finalidades da ROTAM são missões dentro ou fora das viaturas, no tocante às funções de comando, armamentos, escrituração, comunicações, perseguições (acompanhamento), prisões, flagrantes, abordagens e diversos outros procedimentos policiais militares, ou mesmo aqueles de cunho social.

COE: O Comando de Operações Especiais, COE, é responsável pelas missões de operações especiais contra guerrilha, combate a quadrilhas fortemente armadas em áreas urbanas e rurais, intervenção em sequestro, resgate de reféns, combate em ambiente confinado dentre outras de alta complexidade.

Grupo de Gerenciamento de Crises, Esquadrão Antibombas e Atiradores de Precisão: O grupo de Gerenciamento de Crises é o mais capacitado para aplicação das medidas concernentes às alternativas táticas para resolução de ocorrências complexas, quais sejam: Negociação, Técnicas não-letais, Tiro de Comprometimento e Invasão Tática. O Esquadrão Antibombas que é responsável pela resolução de ocorrências envolvendo artefatos explosivos, desenvolvendo atividades de remoção, neutralização e desativação de bombas em todo o Estado. Por fim, a equipe de Atiradores de Precisão tem a missão de auxiliar o COE em situação de resgate de reféns ou atuar isoladamente, sob comando, quando necessária à realização de tiro de comprometimento.

Presente em todos os municípios e Distritos do Estado, a Polícia Militar do Tocantins conta atualmente com doze Batalhões (BPMs), sete Companhias Independentes (CIPMs), sendo  09 Companhias Destacadas, 34 Pelotões Destacados, 109 Destacamentos e 13 Sub-Destacamentos, que funcionam dentro da estrutura operacional do CPC- Comando do Policiamento da Capital e CPI– Comando do Policiamento do Interior, ambos respectivamente sediados no QCG– Quartel do Comando Geral, em Palmas-TO.

Clique aqui e acesse: