Criação das Unidades Operacionais da PMTO

A Polícia Militar do Estado do Tocantins foi criada e implantada através da Medida Provisória nº 001/89, de 1º de janeiro de 1989, e articulava-se em todo o território tocantinense em 04 Batalhões e 03 Companhias Independentes. O 1º BPM, que à época localizava-se em Miracema, compreendia a Área 01 (Miracema, Miranorte).

O 2º BPM com, sede em Araguaína, compreendia a Área 02 (Araguaína, Aragominas, Filadélfia, Nova Olinda, Wanderlândia, Tocantinópolis, Araguatins e Augustinópolis). O 3º BPM com sede em Pedro Afonso compreendia a Área 03 (Pedro Afonso, Rio Sono, Novo Acordo, Lizarda, Itacajá e Goiatins). A 3ª CIPM com sede em Guaraí compreendia a Área 04 (Guaraí, Colinas do Tocantins e Dois Irmãos).

 Na Área 05 localizava-se a 2ª CIPM, com sede em Porto Nacional e abrangência também em Natividade e Ponte Alta do Tocantins. O 4º BPM com sede em Gurupi fazia parte da Área 06 (Gurupi, Aliança do Tocantins, Paraíso do Tocantins, Cristalândia, Formoso do Araguaia, Alvorada e Palmeirópolis). E a Área 07, onde se localizava a 1ª CIPM, com sede em Arraias e abrangência também em Dianópolis e Taguatinga.

 Devido a uma enchente, o 1º BPM teve sua sede provisoriamente em Miranorte e posteriormente em Porto Nacional. Com a mudança da Capital de Miracema para Palmas, o 1º BPM foi transferido para Palmas, sendo a Polícia Militar o primeiro órgão do Estado a instalar-se definitivamente na nova capital.

 No ano de 1991, foi criado e instalado na cidade de Porto Nacional o 5º BPM, visando maior abrangência policial militar na região sudeste do Estado. E através do Decreto 2.218/91, de 07 de fevereiro de 1991, foi criado o 6º BPM com sede em Araguatins onde, pelo Decreto 6.383/92 de 19/10/1992, passou à denominação de 4ª CIPM.

 No ano de 1992, foi criada a 5ª CIPM através do Decreto 6.675/92 de 14/12/1992, publicado no DOE 189 de 15/12/92, com sede em Paraíso do Tocantins. Neste mesmo ano foi criada pelo Decreto 6676/92 de 14/12/1992 também publicado no DOE 189/1992, a 1ª Companhia Independente de Bombeiros Militar (1ª CIBM). Em 1993, através do Decreto 8.850 de 27/09/1993, publicado no DOE 173/1993 de 28/09/1993 foi criada a 6ª CIPM com sede na cidade de Miracema do Tocantins.

 Em 1996 pela Lei 860/96 de 26/07/1996, publicada no DOE nº 548 de 01/08/1996, foi criada a Companhia Independente de Policiamento Ambiental – CIPAMA e no mesmo ato criou-se o Centro de Formação e Aperfeiçoamento de Praças (CFAP) e, com base no Decreto 1486/1992 de 21/04/2002, efetivada em 06/06/2003, passou a se chamar Academia Estadual de Segurança Pública, abrangendo as polícias Civil e Militar. Posteriormente, passou a ser denominada Academia de Polícia Militar Tiradentes (APMT), através da Portaria nº 006/2006-Gab, de 23 de fevereiro de 2006, oferecendo cursos de formação, habilitação, capacitação e aperfeiçoamento aos policiais militares.

 Em 2003 foram criados pelo Decreto nº 1.723 de 14/03/2003, publicado no DOE nº 1.399 de 20/03/2003, o Comando de Policiamento da Capital – CPC, responsável pelas operações da Capital e cidades circunvizinhas, e o Comando de Policiamento do Interior – CPI, responsável pelas operações das demais cidades do interior do Estado; o 6º BPM instalado na área Sul de Palmas, onde era área do 1º Batalhão, com predicado de Companhia destacada e também a CIOE - Companhia Independente de Operações Especiais, à época composta por dois grupos especializados: COE (Comando de Operações Especiais e GIRO (Grupo de Intervenções Rápidas Ostensivas). Posteriormente foram criados na CIOE, os grupos ROTAM – Rondas Ostensivas Táticas Metropolitana e GOC – Grupo de Operações com Cães.

 Através do Decreto 2.013, de 09 de Março de 2004, criou-se o 7º Batalhão de Policia Militar, com sede em Guaraí – TO, o 8º Batalhão de Polícia Militar, com sede em Paraíso do Tocantins. Pelo mesmo Decreto foram remanejadas a: 3ª Companhia Independente de Polícia Militar de Guaraí para Colinas do Tocantins, a 5ª Companhia Independente de Polícia Militar de Paraíso para a Cidade de Tocantinópolis e transformou a 1ª Companhia Independente de Bombeiros em 1º Batalhão de Bombeiros Militares.

 Em 26 de setembro de 2005 foi aprovada pela Assembléia Legislativa, por votação unânime, a PEC – Proposta de Emenda Constitucional que deu autonomia ao Corpo de Bombeiros, entidade que era vinculada à Polícia Militar.

O Decreto Nº 3.617, de 6 de fevereiro de 2009, cria a Companhia Independente de Operações Aéreas da Polícia Militar do Estado do Tocantins – CIOA/PMTO, subordinada ao Comandante Geral da Polícia Militar, cujo objetivo principal é apoiar as atividades de defesa civil.

 A Polícia Militar do Estado do Tocantins encontra-se presente em todos os municípios e distritos do Estado e conta atualmente com mais de 4.183 policiais militares, entre homens e mulheres, distribuídos em 08 Batalhões, 06 Companhias Independentes, 09 Companhias Destacadas, 34 Pelotões Destacados e 109 Destacamentos e 13 Sub-Destacamentos, que funcionam dentro da estrutura operacional do CPC e CPI, respectivamente.